La Siesta…

Tags

, , , ,

…and how you have nothing to do at the hottest time of the day.

Yes, I know that people take time to do the siesta in Spain, but that’s not a habit cultivated by the Portuguese.

I spent two days in Pamplona by myself. Pamplona is a small city, and even though I really liked it, you can basically see it all in one morning (if you don’t go inside museums). At 2.30 pm I had seen everything and had had lunch (something that also takes less time when you’re by yourself), what to do till 5 pm?, the time siesta ends and shops open again.

I decided to calmly have a beer at the same place where I had lunch sitting on a very uncomfortable stool (considering I decided to fall on my back while I was getting down from the 2nd floor of my bunk bed in the morning and wasn’t in the best shape), while, for the first time, writing texts in advance for the blog!

I filled a bit more time by going for a coffee at the Hemingway Caffe, or so they publicise it – Cafe Iruña. It seems “The Sun Also Rises” was written in Pamplona and they really take advantage of the fact to promote the city.

I had another siesta related situation in Andalucía, when a friend of my friend who I was staying with, after lunch in the middle of a touristic day, wanted to take some time for the siesta and me and our Italian friend were full of energy and didn’t want to stop. It was enough for him to ask “que enfermedad tienen?” (What disease do they have?)…la siesta, la siesta!😉

P1150866P1150836…e como se fica sem o que fazer nas horas de maior calor.

Sim, eu sei que em Espanha se faz a sesta, mas não é um hábito cultivado pelos Portugueses.

Os dois dias que passei em Pamplona foram passados sozinha. Pamplona é uma cidade pequena e embora tenha gostado muito dela, é possível ver mais ou menos tudo (se não se entrar nos museus) em pouco mais que uma manhã. Às 14h30 do primeiro dia já tinha visto tudo e almoçado (coisa que quando se está sozinha também se faz mais rápido), o que fazer então até às 17h00?, hora em que a sesta acaba e as lojas, o possível entretenimento para ocupação de tempo livre, voltam a abrir.

Pois bem, eu optei por beber um fininho, calmamente, no mesmo sítio onde almocei, num banco um bocado desconfortável (considerando que ao começar o dia, decidi cair de costas ao descer do segundo andar do beliche onde passei a noite e as minhas costas não estavam nas melhores condições – e não estiveram durante todo o resto das férias), enquanto pela primeira vez escrevia textos em antecedência para o blog!

Ainda ocupei um bocadinho mais de tempo com um cafézinho (muito pouco café, se é que me entendem) no que é publicitado como o café do Hemingway – Café Iruña. Parece que o “The Sun Also Rises” foi escrito em Pamplona e é uma das coisas usadas para promover a cidade.

Voltei a ter uma situação relacionada com a sesta, já na Andaluzia, quando um amigo da amiga em casa de quem estava alojada, depois do almoço, a meio de um dia de passeio, queria fazer a sesta e eu e o nosso amigo Italiano estavamos cheios de energia e prontos para continuar o passeio, ao que ele perguntou “que enfermedad tienen?”…ai, ai a sesta!😉

Pamplona

Tags

, ,

Pamplona appeared on my holiday plans by chance. I needed to fill 1/2 days around the Basque Country and this was the solution that seemed easier if I took transportation into account. I didn’t want to decide anything without confirming I wasn’t going during San Fermin and luckily it ended a week before.

I really liked the city! A very pretty old area (Casco Viejo); interesting churches (it’s part of the French Camino de Santiago); green parks with deers, peacocks and chicken; a cute, clean hostel filled with nice people, one of the best in my hostel experience; cool shops…the only but were all the references to the San Fermin party…

Yes, everyone that goes to Pamplona when the party is going on says they are a lot of fun, the pintxos are great and boos are plenty. I believe that most people who attend the celebrations forget that at the same time there are animals suffering so that a violent and brutal tradition keeps going and that the pintxos and the alcohol are there all year round and for there to be fun, you just have to want it!

It may also be true that Pamplona is such a touristic place mainly because of San Fermin’s celebrations and that maybe without the money that comes in at that time it wouldn’t be possible for the city to be so well preserved. Isn’t it sad that money is such a powerful thing?

The world isn’t a perfect place!

P1150823 P1150824 P1150827 P1150831 P1150834 P1150837 P1150842 P1150843 P1150844 P1150845 P1150849 P1150854 P1150857 P1150863 P1150864 P1150867 P1150870 P1150871Pamplona foi uma cidade que surgiu nos meus planos de férias por acaso. Precisava de ocupar 1/2 dias do meu período de férias pelo País Basco e esta pareceu-me a solução mais fácil, uma vez pesquisados os transportes disponíveis. Não quis decidir-me antes de verificar se não coincidiria com as festas de San Fermin, mas por sorte, terminavam uma semana antes.

Gostei muito da cidade! Uma zona antiga (Casco Viejo) muito bonita; igrejas interessantes (faz parte do caminho de Santiago Francês); parques verdes onde se encontram veados, pavões e galinhas; um hostel bem fofinho, limpinho e com gente simpática, dos melhores da minha vida hosteleira; lojinhas fofinhas…o único defeito são mesmo todas as referências à festa de San Fermin…

Sim, toda a gente que vai a Pamplona na altura das festas diz que são dicertidíssimas, que se comem pintxos fantásticos, que se bebe bem e que a diversão não acaba.Eu acho que a maioria das pessoas que vai a esses festejos não tem em consideração que em paralelo existem animais em sofrimento em prol de uma tradição brutal e violenta e que os pintxos e o álcool continuam a estar por lá noutras alturas e para a diversão só é necessário o apetite!

Sim, também é verdade que Pamplona talvez não fosse uma cidade tão turistica se não fossem as festas de San Fermin e que talvez sem isso a cidade não sobreviveria tão preservada e com as mesmas características que lá encontrei. O facto de o dinheiro ser necessário para manter os sítios preservados faz destas coisas…

O mundo não é um sítio perfeito!

Vitoria/Gasteiz

Tags

, , , ,

Another place that wasn’t really part of the plan, though it was one that I would try to visit if there was time.

It was considered the green city of the year in 2012 and you can really see why. Big green spaces, extensive pedestrian zones, electric tram as public transportation…

A very nice, small city.

P1150753 P1150754 P1150755 P1150758 P1150760 P1150764 P1150765 P1150767 P1150768 P1150773Outro sítio que não fazia bem parte dos planos, embora fosse um daqueles que ia tentar visitar se tivesse tempo.

Foi considerada a cidade verde do ano que passou e isso pode ver-se. Grandes espaços verdes, ruas pedonais em grande extensão, carro eléctrico dos modernos como transporte público…

Uma cidadezinha pequena e muito simpática.

The rent-a-car experience

Sorry for another big absence, I swear I’ll soon be back to normal. Back to the Spanish summer holidays.🙂

Desculpem esta nova ausência, juro que em breve voltarei ao normal. Voltemos às férias de verão por terras espanholas.🙂

P1150752

I had never rented a car before, with the exception of one time with my parents…and this time it was a very interesting experience, which took us from San Sebastián to Bilbao, by the long way of the french towns of the last post.

The documents we had from the car’s reservation only informed us of where to pick it up. And so we did. The lady who gave us the car told us there was no problem in leaving it outside the working hours of the agency in Bilbao, bacause there was a place to deposit the keys at the door. She didn’t tell us where the agency was, and we didn’t ask.

We drove the car around all day. When we arrived in Bilbao, we were very, very tired and decided to leave the car close to the hostel, so we didn’t have to carry our bags around. Tired as we were, we didn’t even pay much attention of where we were parking the car.After dinner and already with the agency’s address taken from the internet we started searching for the car. While walking in an area that already looked shady and badly frequented, some lady decided to advise us to leave the area, ’cause it wasn’t very nice for two lonely girls like us. Yes, we had left the car right in that area, but after a few stressful minutes we managed to find it.

It was time to take it to the agency. When we arrived, we found a parking spot right in front of the agency, but the hole to drop the keys was nowhere to be found! Hadn’t it been for guy who got closer and said “el buson es en la otra calle” and my friend being Spanish and understanding the meaning of buson and I would still be looking for it, while a bit worried about what Spanish men had to say to me at odd hours of the night! xD

Nunca antes tinha alugado um carro, com a excepção de uma vez na companhia dos papás…e desta feita, foi uma experiência bastante interessante, que nos levou de San Sebastián a Bilbao, pelo caminho grande das cidades francesas do último post.

Os papéis que tínhamos da reserva do carro apenas nos informavam onde levantar o carro. Assim o fizemos. A menina que nos deu o carro disse que não haveria problema em entregar o carro fora da hora de funcionamento da agência de Bilbao, porque havia um sítio para depositar as chaves. Não nos disse onde ficava a agência e nós também não perguntámos.

Andámos com o carro o dia inteiro. À chegada a Bilbao estávamos cansadas e decidimos estacionar o carro perto do hostel para não termos de andar muito tempo com a tralha às costas e cansadas como estávamos, nem prestámos muita atenção onde estacionámos o carro. Depois do jantar e já com a morada da agência retirada da net, foi preciso encontrar o carro. Enquanto caminhávamos numa zona que já nos estava a parecer bastante duvidosa e muito mal frequentada, uma senhora decidiu avisar-nos que se calhar era melhor sairmos dali, que não era um sítio muito aconselhável para duas meninas sozinhas. Tínhamos mesmo deixado o carro num sítio muito estranho, mas depois de alguns momentos de stress, lá o conseguimos encontrar.

Tinha chegado a altura de o levar à agência. Ao chegar lá, encontrámos lugar mesmo à porta, mas buraquito para meter as chaves, de grilo! Não fora um senhor se ter aproximado a dizer “el buson es en la otra calle” e a minha amiga ser espanhola e perceber o significado de buson e ainda hoje lá estaria à procura dele, além de assustada com o que os espanhóis me andavam a dizer a horas impróprias da noite! xD

Saint-Jean-de-Luz & Biarritz

Tags

, , ,

The bit of the trip that wasn’t premeditated and became a nice surprise.

O troço da viagem não programado tornou-se numa bela surpresa.

P1150713 P1150714 P1150718 P1150719 P1150720 P1150723 P1150724 P1150730Saint-Jean-de-Luz was a very nice surprise! I thank the French man who suggested the destination. It has a small beach, which looks to be mainly populated by families, where you want to stay (I should take the chance to say we visited the city in the morning and on our way out the traffic going in was a bit chaotic…the beach must become very full as the day goes on.). The most beautiful thing are the narrow streets and cute characteristic houses.

Saint-Jean-de-Luz foi uma maravilhosa surpresa! Agradeço ao senhor Francês que nos sugeriu o destino. Tem uma praia pequena, de aspecto familiar, onde apetece ficar (faço aqui o aparte de que visitámos a cidade cedo e à saída, o trânsito para entrar na cidade estava caótico…a praia deve encher bastante.). O mais bonito da cidade, e que me fez gostar tanto assim dela, são as ruinhas e casinhas características muito fofinhas.

P1150733 P1150735 P1150736 P1150742 P1150745 P1150746 P1150749The only of the two I had heard about before, Biarritz was a bit disappointing. It has a couple of cute shopping streets, with cute shops and cafes, but the beach is dominated by the casino and a cemment construction that kind of ruin it.

Sendo o único dos dois sítios de que já tinha ouvido falar, Biarritz não me surpreendeu muito. Tem um par de ruas comerciais fofinhas, com lojinhas e cafézinhos fofinhos, mas tem uma praia dominada pelo grande casino e por umas construções em cimento que torna a coisa um bocado manhosa.

Jazzaldia @ San Sebastián/Donostia

Tags

, , , , , , ,

As I had mentioned before, I’ve visited San Sebastián around the time of the jazz festival. I’m not sure if that was the reason, or if the city is always like that, but it was filled with people and there were a lot of unknown musicians playing in the streets. I had the chance of seeing China Moses and Buika’s payed gig and !!! (Chk Chk Chk) for free.

I loved China moses gig. I’d never heard of her before. She sings the blues and is very funny.

Buika is very famous on the World Music scene, but I didn’t love her gig…

!!! was a lot of fun, as the last time I saw them. It’s really weird that a scrawny guy, with really short shorts, manages to be so energetic and to contaminate the public with that energy. Adding to that, I think it was the first gig right on the beach for me…sneakers filled with sand!

P1150639 P1150655 P1150658 P1150661 P1150662Como já aqui tinha dito, visitei San Sebastián por altura do festival de jazz. Não tenho a certeza se seria por isso, ou se será sempre assim, mas a cidade estava movimentadíssima e vário artistas anónimos tocavam na rua extra programação do festival. Tive a oportunidade de ver China Moses e Buika num concerto pago e !!! (Chk Chk Chk) num concerto gratuito.

Adorei o concerto de China Moses, que não conhecia. Um blues cantado pela voz de uma mulher, que por sinal é muito espirituosa.

Buika tem uma fama imensa pelo mundo da World Music, tão badalado ultimamente, mas não amei…

!!! voltou a divertir-me imenso, como da outra vez que os vi. É tão estranho que um tipo lingrinhas, de calções curtinhos, consiga ser tão enérgico e contaminar o público com essa energia e diversão. Para além disso, acho que foi o meu primeiro concerto em plena praia…sapatilhas cheias de areia!

San Sebastián/Donostia

Tags

, , , , ,

What’s there to say about this city on the Basque seaside? PINTXOS!!!😛

It’s a pretty and well organised city, where pintxos places are abundant. Pintxos are like tapas, but the Basque way and are always accompanied by cañas or txakoli. The pintxos are excellent! There a wide variety of them, but they’re mostly made out of foods from the sea, fish and seafood. For my amazement, one of the most used fish is codfish. Txakoli is a light white wine produced in the Basque Country.

I visited the city whilst the Jazz Festival was going on and I’ll tell you about it in one of the next posts.

Being seaside city, there’s still the beaches to talk about. In my opinion, they aren’t the reason for visiting the city. However, during this trip, I’ve come to the conclusion that I’m very critical of random beaches, since we have such beautiful ones in Portugal.On the free time between pintxos, cañas and gigs I went up Monte Igueldo. There’s a cable car that takes you to the top, and once there, besides the view, there’s a retro amusement park. Most of the attractions are for children, living little to do for the adults.

P1150706 P1150708 P1150697 P1150704 P1150676 P1150682 P1150683 P1150665 P1150671 P1150672 P1150691 P1150692 P1150587 P1150638 P1150588 P1150590 P1150591 P1150592 P1150596 P1150599 P1150600 P1150605 P1150610 P1150612 P1150614 P1150615 P1150620 P1150626 P1150629 P1150630 P1150632O que há a dizer sobre esta cidade da costa Basca? PINTXOS!!!😛

É uma cidade bonita e bem organizada, onde abundam os bares de pintxos, que mais não são do que tapas ao estilo Basco. Pintxos esses, sempre acompanhados de cañas ou txakoli. Os pintxos são excelentes! Existe uma grande variedade e são maioritariamente confecionados com alimentos provenientes do mar, como peixes e moluscos e para espanto meu, o bacalhau é um dos peixes de eleição dos Bascos. O txakoli é um vinho branco levezinho, produzido no País Basco.

Visitei a cidade por altura do festival de jazz de que vos falarei num dos próximos posts.

Estando situado na costa, falta ainda falar das praias, que a meu ver não são a razão para visitar a cidade, se bem que nestas férias descobri o quão crítica sou de praias alheias, quando as temos tão bonitas em Portugal.

Aproveitei o tempo livre entre pintxos, cañas e concertos para subir ao Monte Igueldo. O funicular que leva ao topo faz lembrar o do Bom Jesus de Braga e uma vez lá em cima, além da vista, encontrámos um parque de diversões retro, onde as atracções são para crianças, deixando pouco para entreter adultos.

The choice…

Before this summer, from my neighbour country I only knew some Galician cities, Madrid, Mallorca and Ibiza (I’ve spent a day in Barcelona, but I’m not willing to admit I know the city). That’s right, the closer the places the longer you take to visit them…I’ve decided to take advantage of my Andaloucian friend and add a few more cities to the list. I further took advantage of her by tagging along on her plans to go to San Sebastián’s Jazz Festival, and so added a few more days to my holidays to get to know a bit of the Basque Country as well. While feeding on pintxos one day, a French guy decided to start chatting with us and suggested that we would make a short visit to France, since we were really close to the border.

So, for the next few weeks, I’ll be telling you all about this holidays that went through San Sebastián/Donostia, San Juan de Luz, Biarritz, Vitoria/Gasteiz, Bilbao/Bilbo, Pamplona/Iruña, Madrid, Granada, Alpujarras, Arcos de la Frontera, Puerto de Santa Maria, Cádiz, Tarifa and Bolonia.

P1150687 P1150688Antes deste verão, do país vizinho conhecia algumas cidades Galegas, Madrid, Maiorca e Ibiza (passei um dia em Barcelona, mas com isso não considero que conheça a cidade). É isso mesmo, o que está mais próximo acaba sempre por ir sendo deixado para mais tarde…Decidi aproveitar uma amiga Andaluza para conseguir juntar mais umas cidadezinhas a essa lista. Aproveitando o facto de ela ter planos de ir ao Festival de Jazz de San Sebastián, adicionei mais uns diazinhos às férias e conheci um pouco do País Basco também. Um dia, enquanto nos alimentávamos de pintxos, um senhor Francês decidiu meter conversa connosco e acabou por nos sugerir que dessemos um saltinho a França, já que estávamos tão pertinho da fronteira.

Assim sendo, os temas dos posts por aqui nas próximas semanas vão contar-vos um pouco destas férias que passaram por San Sebastián/Donostia, San Juan de Luz, Biarritz, Vitoria/Gasteiz, Bilbao/Bilbo, Pamplona/Iruña, Madrid, Granada, Alpujarras, Arcos de la Frontera, Puerto de Santa Maria, Cádiz, Tarifa e Bolonia.

Not quite forced hiatus…

Yes, this last posting stop was a bit long.

Let’s say that adding to the projects I’ve mentioned in the last post and the inevitable holidays in August, I was suffering of a bit of “writer’s block”.

I’ve never had very long texts in the blog, I’ve actually created it as a way of sharing my photos of places, photos that never had a lot of space on my other online “houses”. Maybe that will change…

From now on I’ll try to accompany my photos of descriptive texts that tell you more about what happened. This resolution is mainly due to the fact that I’ve spent two days by myself on my holidays in the Basque Country and I had to fill my time between pintxos and cañas with something that would allow me a bit more time to rest between walks.

To be honest, when I write the posts I do it in hindsight and a lot has been lost from my memory by then. When I’m living the actual moment, I usually have a lot of more interesting ideas of subjects to develop here. As I’m already used to carrying a small notebook with me, I’ll try to bring pen to paper more often and maybe that way make the blog a bit more interesting.🙂

P1150872Sim, esta última paragem aqui no blog foi um bocado longa.

Digamos que para além dos projectos referidos no último post e as inevitáveis férias em Agosto, também sofri de “writer’s block”.

Nunca tive textos muito compridos aqui pelo blog, criei-o como uma forma de publicar as minhas fotos de lugares, que nunca tiveram muito espaço nos minhas outras “casas” online. Talvez isso vá mudar…

A partir de agora, vou tentar acompanhar as fotos por textos que as descrevam e que descrevam aquilo que se passou no(s) momento(s). Esta resolução deve-se maioritariamente ao facto de nas férias ter acabado por passar dois dias sozinha no País Basco e ter tido de ocupar o meu tempo, entre pintxos e cañas, de forma a conseguir mais alguns minutos de descanso entre caminhadas.

A realidade é que quando escrevo os posts o faço em retrospectiva e muito já se varreu da minha memória. Quando estou a viver os momentos tenho muitas mais ideias interessantes de assuntos a desenvolver por aqui. Como andar com um caderninho atrás já é hábito meu, vou tentar levar a caneta ao papel mais frequentemente e talvez assim tornar as vossas visitas ao meu blog um pouco mais interessantes.🙂