Tags

, , , , , , , , , ,

8 films I’ve watched already in this year’s Fantas.

The pre-opening session of La Planéte Sauvage with live music from Beautify Junkyards was very cool!

Antena 3 was nice enough to offer me a ticket to watch Frostbiten, a Swedish film with a mix of scares and laughs that I liked a lot.

I took advantage of Alain Resnais retrospective to watch L’année dernière à Marienbad, and I thank the opportunity to watch it on a cinema room. It’s a very beautiful film. However, what makes it beautiful, also makes it a bit difficult to watch…the repetition and rhythm of the voices makes it a bit sleepiness prone, and I’m not sure I’d manage to watch it home, by myself, till the end. One watched, I can see why it is in all the list of the best films ever!

I also went to the official opening. There were all the things of an opening…speeches from the organization included. The director and producer of the film were also present (in the pic). The film, Mama, does what is asked of an horror film, and manage to take a few frights out of us.🙂

The Spanish animation O Apóstolo is very good. I suggest it to all the animation fans out there. The creators were also present on this one.

The Australian film Face to Face, isn’t the best film ever made, but it’s quite fun and it’s centred on human relationships and conflicts, what makes subject fertile.🙂

Pietà is magnificent!

Today, I went to watch Delirium and though I can understand the idea of confusion generated on purpose by the film, I didn’t love the end result…

Two of the films had short being shown with them. The Birth of Rock was somewhat of a rubbish animation with a bit of a nonsense story. Beyond That Wasteland has great cinemagraphy and could be a beautiful music video.

The pics were taken with my cell (the camera has been resting at home) on the official opening day.

SEMC 3MP DSC SEMC 3MP DSCJá conto com 8 filmes no Fantas este ano.

A sessão de pré-abertura com o La Planéte Sauvage, musicado ao vivo pelos Beatify Junkyards foi muito fixe!

A Antena 3 foi simpática o suficiente para me oferecer um bilhete, via passatempo, para o Frostbiten, uma produção Sueca com um misto de sustos e gargalhadas, do qual eu gostei bastante.

Aproveitei a retrospectiva do Alain Resnais para ver o L’année dernière à Marienbad e agradeço mesmo ter-me sido possível vê-lo numa sala de cinema. É um filme muito bonito, mas o que o torna bonito, também o faz despertar a sonolência (a repetição e o ritmo das vozes) e não sei se o teria conseguido ver em casa, sozinha, sem desistir pelo caminho. Tendo conseguido vê-lo do princípio ao fim, acho-o bastante merecedor do lugares nas listas dos melhores filmes que por aí se vão encontrado.

Fui também à sessão de abertura oficial. Tivemos direito a discurso de uma das organizadoras do festival, Beatriz Pacheco Pereira, que como seria de esperar, se queixou da falta de apoios do festival. Também estiveram presentes o realizador e produtora do filme de abertura (na foto), Mama. O filme consegue provocar alguns sustos, o que se quer num filme do género.🙂

Fui ver a animação espanhola O Apóstolo, muito bem feita e aconselhável aos amantes da animação. Também com direito à presença dos criadores.

O filme australiano Face to Face não será uma obra-prima do cinema, mas é bastante divertido e centra-se nas relações humanas, que dão sempre pano para mangas.🙂

O Pietà fantástico!

Hoje, fui ver o Delirium, também com a presença do realizador e apesar de ter compreendido a ideia da confusão propositada gerada pelo filme, não amei o resultado final…

Dois dos filmes tinham curtas a acompanhar. The Birth of Rock, uma animação fraquinha com uma história um bocadinho nonsense. Beyond That Wasteland, com uma fotografia muito bonita e daria um videoclip bem fixe.

As fotos foram tiradas com o telemóvel, que a máquina tem ficado em casa, no dia da abertura oficial.