Tags

, , , , ,

The second day was Blur’s day, and maybe due to the high expectations, it ended up not being Blur’s day, but Mão Morta’s day…

I had to arrive later on this day, and I was just on time to see Daniel Johnston at 8 pm. It was interesting to see how he behaved on stage…

Then, and after having dinner at one of Porto’s “tascas”, I went to see Mão Morta. Yes, I chose to see Mão Morta instead of Swans, even against Adolfo Luxúria Canibal’s suggestion, and I didn’t regret it a bit!!! They say Adolfo drew his energy from Nick Cave’s set the day before, and it was a great gig!

After Mão Morta, it was Grizzly Bear’s turn…nice gig…

Similarly to the previous day, I went further to the front, as soon as Grizzly Bear’s gig ended, so I could see Blur up front…not a good idea! At this point, I want to make it clear, I started attending gigs and festivals when I was 14 years old, 13 years ago, so, I’m not a newbie…but it was the first time I was afraid to die. I blame the very young crowd around me, who couldn’t properly hold on, once the mosh and crowdsurfing started! Yes, because I’ve been to a particularly violent QOTSA gig, where even Josh Homme stopped to ask people to calm down and I wasn’t a bit scared! After I left the front rows, I could start enjoying the gig, but if I’m allowed to be honest, I didn’t love it…Yes, Damon Albarn’s voice is still great; yes, the songs were still those songs; but, there’s more to a gig than a simple enumeration of big hits!

P1140656 P1140658 P1140660 P1140670 P1140678 P1140680 P1140686 P1140688 P1140694Este era o dia de Blur, e se calhar pela expectativa criada, acabou por não ser o dia de Blur, mas o dia de Mão Morta…

Tive de chegar tarde ao festival neste dia, e já só cheguei a tempo de ver Daniel Johnston que começava às 20h. Engraçado ver como se comportava em palco…

A seguir e depois do jantar numa das tascas do Porto, fui ver Mão Morta. Sim, escolhi ver Mão Morta em vez de Swans, mesmo contra a sugestão do Adolfo Luxúria Canibal, e não me arrependi nada!!! Dizem que o Adolfo tirou as suas energias da actuação do Nick Cave no dia anterior e que grande concerto foi!

Depois de Mão Morta, foi a vez dos Grizzly Bear…deram um bom concerto…

Como tinha feito no dia anterior, decidi aproximar-me das grades. logo a seguir a Grizzly Bear, para ver Blur bem à frente…e como me arrependo! Neste momento quero deixar claro que estão a ler o texto de uma pessoa que começou a sua vida de concertos e festivais aos 14 anos, já lá vão 13 anos, e que por isso, não é propriamente uma novata…mas, foi a primeira vez em que tive medo de morrer. Atribuo esse facto à faixa etária reduzida que estava à minha volta e que quando começou o moche e o crowdsurfing, não se conseguia segurar! Sim, porque já estive num concerto com muito moche e crowdsurfing de QOTSA, que de tão violento promoveu a intervenção do Josh Homme a pedir calma e que em mim não provocou receio nenhum! Depois de me afastar mais para trás, lá consegui aproveitar o resto do concerto, mas se querem que vos diga, não adorei…Sim, a voz do Damon Albarn continua fantástica; sim, as músicas estavam lá; mas, há mais num concerto do que o simples debitar de hits!